segunda-feira, 27 de junho de 2011

SOBRE A MATÉRIA DA REVISTA ISTO É

Agradecemos ao Jornalista Lucio Vaz da Revista Isto É pela oportunidade de mostrar não apenas aos leitores da revista mais divulgar entre os colegas anistiados de todo Brasil, a violação de nossos direitos quando retornamos ao serviço público depois de vinte anos de sofrimento e muita luta.

O título ANESTESIADOS é para chamar atenção não apenas para a matéria mais infelizmente é assim que somos chamados em Brasília dentro do MCT pela maioria dos servidores e alguns terceiriados e rejeitamos a qualificação e não permitimos humilhações.

Ouvimos o tempo todo frases : "Vocês nem sabem se ficam" ou vocês tem a mesma situação dos terceiriados e podem ser demitidos a qualquer momento".

São pessoas que não conhecem a verdadeira história de sofrimento dos anistiados ou tentam nos atingir e até mesmo, desanimar o grupo para que não provem que são profissionais qualificados e mesmo os que ficaram fora do mercado de trabalho por anos estão dispostos a aprender e desempenhar da melhor forma possível, todo o serviço dentro do Ministério.

Nossos idosos são nosso orgulho e exemplo para todos. Estão felizes pelo retorno e adoram ser úteis e são dentro das limitações, ótimos profissionais.

Procuramos manter um bom relacionamento com todos os servidores, terceirizados e Coordenador de Recursos Humanos do MCT e ignorar comentários maldosos pois somos superiores a tudo isso e não vamos desanimar nunca.

Os salários que recebemos são absurdos e temos que cobrar uma solução do governo quer seja administrativamente ou judicialmente.

Procuramos manter o grupo unido e fazer de tudo para mudar a situação humilhante que estamos sendo submetidos .

Todos apostavam que os anistiados FTI jamais retornariam ao MCT e provamos que tudo é possível quando deixamos o medo de lado e batalhamos primeiro pela publicação da primeira portaria de retorno

Uma ótima oportunidade para pedir providências e mudanças é a audiência pública que será realizada em Brasília dia 12 de julho.

Temos que cobrar o mesmo tratamento dispensado aos anistiados que retornaram logo após a publicação da Lei 8.878/94 e antes do Parecer da AGU. Hoje todos são ESTATUTÁRIOS.

Na AGU existem Procuradores e Advogados, que foram beneficiados pela Lei 8.878/94 e ninguém vai mudar a situação deles.

Devemos unir todos os anistiados que retornaram como CELETISTAS e cobrar providências para mudarem nossa situação.

Todos os Servidores que eram CELETISTAS passaram para o Regime Jurídico Único e temos os mesmos direitos.

Temos as mesmas atribuições e carga horária dos demais servidores e não podemos receber salários menores e perder calados as gratificações.

A anistia tem que ser para valer e não pela metade.

Vamos juntos lutar para que nossos direitos sejam respeitados e todos nos respeitem como SERVIDORES PÚBLICOS que somos.

Abraço





Marlúcia de Souza

Anistiada FTI/MCT

Nenhum comentário: